Imagem sobre a notícia 5 filmes franceses para se despedir das férias!

5 filmes franceses para se despedir das férias!

2 de agosto de 2016

Já perdi a conta de quantos filmes assisti enquanto estava de férias. Aqui em casa tenho uma prateleira cheia deles. Não digo que tenho um gosto eclético porque aqueles que te fazem sonhar com monstros, com pessoas de um mundo muito maligno e perverso não assisto de jeito nenhum. Já vejo/leio os jornais deste país é c’est déjà soufis.

Lembro-me de uma vez, na casa de uma grande amiga, todos se reuniram para assistir Jogos Mortais, eu não queria nem um pouco assistir aquilo e disfarcei perguntando quem queria pipoca, refrigerantes e afins que eu ia fazer sem problema nenhum!! rsrs Foi  a pipoca mais demorada da história de um rendez-vous cinéma.

Ultimamente os filmes franceses vem ganhando espaço nas salas de cinemas do Brésil e nos aplicativos/programas de filmes on-line. Temos que aproveitar essa maré de bons filmes para mergulhar e conhecer a sétima arte que tem seu berço na França, com os irmãos Lumiére. Já viu o filme “A invenção de Hugo Cabret”? Recomendo muito este filme norte-americano, que conta a história de um menino que mora em Paris (fotografia maravilhosa ao usar os grandes relógios típicos das estações de trem de Paris) e que conhece um senhor ranzinza que tem muita ligação com a origem do cinema. Os roteiristas souberam perfeitamente, ao meu ver, encaixar estórias e histórias da origem do cinema.

Mas continuando: com essa tradição, a França sempre produziu filmes que iam contra o movimento Hollywoodiano, buscando passar através de seus filmes uma visão mais realista da vida, tratando de temas provocativos e que revolucionariam sua a estética. Eles valorizam os detalhes da vida, das coisas simples, dos pequenos prazeres (mesmo que insignificantes) como podemos ver no seu melhor exemplo “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”.

Os filmes que vi recentemente e que recomendo para quem quer voltar à rotina de aulas devagar e docemente através do cinema são:

“A Família Bélier”

No filme, toda a família Bélier é deficiente auditiva, com exceção de Paula (Louane Emera – Simmmmm a Louane daquela lista MARAVILHOSA de músicas francesas que você acessa clicando aqui). A jovem de 16 anos é a intérprete oficial dos parentes e figura fundamental na administração da fazenda. Vive em função disso até o dia em que descobre ter um dom para o canto e decide participar de um concurso da Radio France, para desespero da família.

A interpretação dela para a música Je vole – de Michel Sardou é de arrepiar e com essa chançon ela ganhou o coração dos franceses, lançando depois seu primeiro álbum. Clique aqui para escutar Je vole, par Louane.

Chocolat

Filme recém lançado, que foi exibido no Festival de Cinema Varilux e que ganhou espaço nas telonas fora do festival, este filme conta a história de Rafael Padilha que nasceu em Cuba em 1868 e foi vendido quando ainda era criança. Anos depois ele consegue fugir e é encontrado nas docas por um palhaço que o coloca nas suas apresentações. Em seguida, Padilha passa a ser conhecido como Monsieur Chocolat, tornando-se o primeiro artista circense negro na França, um grande sucesso no final do século XIX.

A delicadeza para contar a história de vida de um personagem importante, porém esquecido na França é singular. Como todo bom filme francês, o final é surpreendente e fora dos padrões americanos. Ao assistir um filme francês espere por finais abertos à sua imaginação, onde nada é explicitamente certo, mas tudo é implicitamente possível.

“Amor e Turbulência”

Filme de 2014 que você encontra já disponível no Netlix, no youtube e até tem sorte de ver em canais de TV por assinatura. Comédia fantástica que trata do amor da forma bem francesa, com todos os seus clichês e preocupações. Filme divertidíssimo para assistir acompanhada (o)! A sinopse conta que em um voo de Nova York para Paris, o charmoso Antoine (Nicolas Bedos) se encontra sentado ao lado da artista Julie (Ludivine Sagnier) – a ex-namorada impetuosa com quem teve um rompimento desagradável três anos antes. Frente a frente, o casal vai reviver os altos e baixos da sua relação tumultuada. Ela está noiva agora e ele ainda tem medo de assumir compromissos, mas a química entre eles é inegável.

Le Chef

Comédia com o crème de la crème, le chouchou du cinéma français, Jean Reno. Jacky Bonnot (Michaël Youn) é um talentoso chefe de cozinha amador que sonha em ter sucesso e um excelente restaurante, porém, sua situação financeira o obrigou a aceitar pequenos trabalhos temporários como cozinheiro. Até o dia em que ele cruza o caminho de Alexandre Lagarde (Jean Reno), premiado chef cuja estabilidade é ameaçada pelo grupo financeiro que controla os restaurantes dele…

Ou seja, cinema + gastronomia francesa = sucesso!

E para finalizar, uma mistura das Américas com o velho continente.

“Paris – Manhattan”

A história de Alice (Alice Taglioni), apaixonada por seu trabalho e por Woody Allen. Ela passa por aquela pressão familiar de encontrar alguém para casar, e refugia-se em seu quarto na presença do seu ídolo. O diálogo entre os dois mostra bem a diferença de culturas e de pensamentos, não abandonando jamais a essência dos filmes de contar a vida do jeito que ela é.

Gostou? Então aguarde minhas novas listas de filmes e se tiver algum para indicar, não deixe de comentar!

Comments

comments

Daniela Santos

Daniela Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre

Daniela Santos

Daniela Santos

Minha vida já deu muitas voltas, já morei em 3 cidades brasileiras diferentes, já viajei para lugares que nem meus pais dormiram ao saber da aventura. E não quero parar! Compartilho agora com você minhas aventuras, visões e experiências para que esse mundo lindo, cheio de diversidade, que nos transforma em alunos da vida seja fascinante e inspirador para você também.

Leia Mais

Pinterest