Imagem sobre a notícia Um dia no Museu do Louvre

Um dia no Museu do Louvre

4 de outubro de 2016

Todos falam que para visitar o Museu do Louvre é necessário ir 3 dias seguidos, chegando na hora que abre e ficando até o último minuto permitido.

Sem dúvida precisamos de tudo isso e quem sabe até mais para visitar todos os cantos desse lugar que foi construído para ser uma muralha, protegendo as primeiras ruas da cidade, e hoje é o símbolo maior de arte, cultura e história.

Mas se você não tem tempo nem paciência para tanta obra de arte, aqui vai minha dica de ouro: leia o mapa! Vem comigo que vou te ensinar a lê-lo para programar sua visita à ala onde encontrará sua obra favorita.

Primeiramente, clique aqui e abra o mapa do museu em outra aba do seu navegador. O mapa já está em português.

D’accord, a primeira página do arquivo mostra a planta geral do museu. Para quem está olhando a tela do computador, ao lado direito temo o Pavilhão do Relógio, que forma um quadrado ao fundo.

Quase ao centro está a pirâmide e seguindo para a esquerda temos o carrossel do Louvre, após o Jardim das Tulherias e então a praça da Concórdia, que não aparece nesse mapa.

Para ter um bom começo de passeio eu indico descer na estação de metrô Concorde (linha 1). Ao sair da estação pelo acesso à Rue de Rivoli você estará ao lado dos portões do Jardin des Tuilleries. Caminhar por este jardim é entrar no clima da cidade. Ele tem vista para a Champs Elysées inteira e você poderá admirar a beleza dos jardins à la française, cuja característica principal é a simetria do projeto de jardinagem.

E não podia faltar ela, a Dama de Ferro:

dsc01970

Ahhh attention! Não vá de sapatos pretos nesse dia, principalmente se forem de camurça. A maior parte do jardim é coberta por uma fina areia branca, que suja o pé de todos que por ali passam. Vá com um sapato fácil de limpar depois.

Caminhando pelos jardins em direção ao Louvre, do lado direito estará o Museu de l’Orangerie. Se tiver outro dia disponível no seu roteiro, visite os jardins de Monet representados em sua obra perfeita de telas de quase 180° com mais tranquilidade. Agora se você é daqueles que entram rápido, vão direto à obra e “pá, beleza, ok, tá tudo certo, lindo, fui”, visitaria os dois no mesmo dia.

Continuando a caminhada, você passará pela Place du Carrousel e logo avistará a pirâmide. Oremos para que no dia da sua viagem não tenha uma fila quilométrica. Eu já visitei o museu algumas vezes e nunca comprei meu ingresso online. Já fui usando o Paris Pass, mas não vi grandes vantagens em relação à fila. Prefiro comprar na hora, pois assim fico também com minha programação livre para ajustar de acordo com a previsão do tempo.

louvre-8

Passando pela segurança, descendo as escadas rolantes da grande pirâmide você está na página 6 do mapa do museu, aquele PDF que te pedi para abrir ali em cima. É o subsolo do museu onde os principais serviços estão disponíveis: bilheteria, banheiros, guarda-volumes, cafeteria, elevadores, guichê de informação e lojinhas cheias de souvenirs.

Compre seu bilhete, aproveite o WiFi gratuito de altíssima qualidade na área da bilheteria, tire sua selfie tocando a ponta das pirâmides e poste com aquela frase de efeito à la Dan Brown. Depois de compartilhar com a gente (use a #ohlaladani ou compartilhe aqui nos comentários!) comece a sua odisseia subindo as escadas em direção a entrada Denon.

Você precisa entender as divisões dos pavilhões. O quadrado do fundo é o Sully, de um lado o Denon e do outro o Richelieu. Para questões de direita a esquerda eu sempre me posiciono de frente para a pirâmide, de costas para a entrada/saída do metrô. Sendo assim, Denon está à minha direita e Richelieu à esquerda.

Começo pela Entrada Sully por ser central, ter um elevador que conecta todos os andares e também por ser servido de escadas.

Estamos na página 7 do mapa e repare que as partes coloridas são as áreas por onde podemos nos deslocar. Ou seja, no nível -1 do museu não há conexão entre os pavilhões! Não podemos contornar este andar inteiro sem precisar subir e descer escadas. Este um dos motivos dele ser conhecido como um labirinto, mas vou te ajudar a andar pelas principais áreas do museu.

Neste nível, na área Sully, encontramos a história do Museu, da sua utilização como palácio até os dias de hoje. Esta área possui elevadores e escadas, que indicam somente possibilidade de subida. Fique atento à estes símbolos do mapa, eles nos ajudam e muito!

Ok, pegue as escadas ou o elevador I/J e chegue ao nível 0 do museu (página 8). Estamos no andar das antiguidades romanas, etruscas, gregas e egípcias. Neste andar você pode andar por todos os pavilhões, pois eles se conectam! Mais s’il vous plaît, não desça nenhuma escada ainda ok? Veja que no pavilhão Sully, perto do elevador G tem uma escadaria. Você não tem como atravessá-la e cortar caminho para retornar ao Denon, se você quiser visitar o andar inteiro, você terá que voltar pelo mesmo caminho que foi.

Chegamos agora ao nível 1 do museu, onde estará a maioria dos visitantes. É aqui que iremos ver as pinturas italianas, espanholas, britânicas… É aqui que a Mona Lisa te espera, escondida pela cabeça de centenas de visitantes. Não esqueça de olhar a sala inteira. O quadro mais estonteante de Véronèse está justaposto à Joconde, e vai quase que do chão ao teto.

Este andar é inteiro conectado, você pode dar a volta nele, passeando de Denon à Sully e à Richelieu voltando pelas escadarias onde você verá a lindíssima escultura de Victoire de Samothrace. Uma das minhas favoritas e que foi recentemente restaurada pela genial equipe do museu.

louvre-1-1-de-1

Segundo e último andar (página 10). Aqui a maior parte das alas estão fechadas ou em reforma. Em julho deste ano tentei visitar a Richelieu mas estava tudo fechado. Porque você deve ir ao segundo andar? As janelas!! Quanto mais alto melhor será a vista do Carrousel du Louvre e da Pyramide. Veja nas fotos!

Então, resumindo:

1-O nível -2 é onde encontramos a bilheteria, café, lojinhas, banheiros, guarda-volumes, entre outros. Sua visita começa por aqui.

2- A partir do nível -1 o ÚNICO elevador que se conecta com todos os andares/alas do museu é o elevador G, situado no encontro de todos os pavilhões, próximo às escadarias do Sully. Temos também o elevador P, mas é destinado mais à ala Richelieu. O elevador G é central e te levará a todas as alas.

3- No nível 0 encontraremos na ala Richelieu esculturas de grandes heróis como Spartacus, na ala Sully você encontrará a escultura de Afrodite, obras do antigo Egito como a Esfinge e Sarcófagos, e na Denon esculturas de Michelangelo, como a Captif.

4- Nível 1 comporta as grandes estrelas do museu. Mona Lisa na área Denon, assim como a representação clássica da liberdade francesa pintada por Delacroix, a Saramosa nas escadarias do Sully e os gatos que simbolizam o Egito no corredor dos fundos do Sully.

5- Nível 2 é optativo e precisa verificar no guichê de informação sobre a abertura das salas. O andar vale visita pela vista das janelas, que dão ótimas fotos.

Espero ter ajudado você na sua primeira ou próxima visita ao Louvre! Deixe seu feedback nos comentários, assim podemos melhorar nosso conteúdo e te ajudar cada vez mais! E se ainda você precisar de uma assessoria para montar seu roteiro, mande-me um e-mail clicando aqui =D

Bisous

Dani

Comments

comments

Daniela Santos

Daniela Santos

  1. Veronica Barbosa do Nascimento disse:

    Muito obrigada por me ajudar a entender o mapa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre

Daniela Santos

Daniela Santos

Minha vida já deu muitas voltas, já morei em 3 cidades brasileiras diferentes, já viajei para lugares que nem meus pais dormiram ao saber da aventura. E não quero parar! Compartilho agora com você minhas aventuras, visões e experiências para que esse mundo lindo, cheio de diversidade, que nos transforma em alunos da vida seja fascinante e inspirador para você também.

Leia Mais

Pinterest